Direito das Mulheres

Escritório especializado em Direito das Mulheres

Sobre mim

Angélica Pavelski Cordeiro Schaitza é advogada, inscrita na OAB/PR sob nº 58.091. Sócia-fundadora do Pavelski Schaitza Advocacia, escritório especializado em Direitos das Mulheres. Graduada pelo Unicuritiba. Pós-Graduada em Direito Material do Trabalho e Processual do Trabalho pelo Unicuritiba. Pós-Graduanda em Direito das Famílias e Sucessões pela Academia Brasileira de Direito Constitucional (ABDConst).
Integrante do Núcleo de Estudos em Sistemas de Direitos Humanos da Universidade Federal do Paraná (NESIDH-UFPR).
Membro do Grupo de Pesquisa Direito e Sexualidade da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Membro do Núcleo de Estudos em Direito Civil Constitucional – Projeto de Pesquisa Virada de Copérnico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), pesquisando Direito das Famílias.

O escritório

De maneira pioneira no Estado o escritório atende os Direitos das Mulheres de forma ampla, atuando nas mais diversas áreas.
O atendimento é personalizado e direcionado para mulheres, atendendo com empatia, acolhimento e sensibilidade uma gama maior de demandas.
A sócia-fundadora, Dra. Angélica Pavelski Cordeiro Schaitza, atende mulheres nas áreas de Direito das Famílias e Sucessões.
Entretanto, como os Direitos das Mulheres não se restringem a estas áreas, o Escritório também presta atendimento de excelência nas esfera cível e criminal, abrangendo, também, os direitos das mulheres empreendedoras, direitos específicos da comunidade LGBTIQ+, direitos sexuais e reprodutivos, bem como a realização de treinamentos em empresas e escritórios acerca dos direitos das mulheres.


Áreas de atuação

Direito das Famílias e Sucessões

Principal área de atendimento do escritório. Realização de consultorias e atuação judicial e extrajudicial.
Planejamento (regime de bens, pactos antenupciais e planejamento sucessório); divórcio; separação; partilha de bens; adoção; pensão alimentícia; guarda; tutelas e curatelas; reconhecimento de filiação socioafetiva; retirada de sobrenome de genitor.
Mediação de conflitos.
Inventários, partilhas, planejamento sucessório e toda a gama de direitos relacionados à Sucessão pessoal e empresarial.

Direito Civil

Direito das consumidoras; indenizações por danos morais e materiais; direitos das mulheres empreendedoras; direitos das mulheres PCD (pessoa com deficiência); direitos das mulheres idosas; bullying e ciberbullying; ataques de ódio na internet; direitos da população LGBTQ+, tais como identidade de gênero, retificação de nome social e registro civil, direitos específicos da população transexual; demais demandas cíveis.

Direitos Sexuais e Reprodutivos

Planejamento familiar; violência obstétrica; direito à maternidade; aborto legal; direitos relacionados à educação dos filhos; medicamentos para filhos; direitos da mãe relacionados ao trabalho e previdência social; direitos relacionados a identidade de gênero.

Direito do Trabalho

Equiparação salarial; assédio moral; assédio sexual; igualdade e discriminações em razão de gênero; direitos da mãe trabalhadora; demais direitos trabalhistas.

Direito Penal e Crimes cibernéticos contra a mulher

Violência doméstica; medidas protetivas; violência sexual; crimes contra a honra; pornografia de vingança (revenge porn); ameaças; perseguições; assessoria específica para informação e orientação acerca dos direitos da mulher vítima de violência.

Direito Previdenciário

Aposentadorias; pensão por morte; benefícios da família; benefícios assistenciais; auxílio reclusão; direitos das transexuais; demais direitos previdenciários.

Treinamentos para empresas e escritórios

Treinamento de combate à violência, assédio moral, assédio sexual e desigualdades em razão de gênero para empresas; treinamento para a identificação e proteção das mulheres vítimas de violência doméstica e/ou assédio; treinamento para escritórios com foco no atendimento de mulheres.

Direito das mulheres transexuais e travestis

Violações de direitos específicas.

Missão

Sempre sonhei em fazer advocacia com propósito.

Ao longo dos anos percebi que o Direito, muitas vezes, não é justo e que as mulheres sofrem também no universo jurídico de forma diferente. O ambiente jurídico é, em geral, comandado por homens e para homens.

Os advogados e advogadas são os primeiros juízes da causa. Somos nós quem decidimos o que fazer e como fazer. Assim, ao levar suas demandas a um advogado homem, muitas vezes, as mulheres já tem seus direitos violados ou não reconhecidos antes mesmo de buscar o Poder Judiciário, ainda que essa não seja a intenção do profissional do Direito.

Com o estudo dos direitos das mulheres comecei a observar mais cuidadosamente o dia a dia, com um olhar atento para as questões femininas.  O quão difícil é para uma mulher relatar um caso de assédio sexual no trabalho, uma violência patrimonial, um caso de violência sexual, revenge porn (pornografia de vingança), uma demanda de guarda e pensão alimentícia para um advogado homem? Muitas vezes não há empatia, ele não passou por algo similar e, mesmo tentando, não vai compreender o que aquelas demandas significam na vida da cliente.

Atuando como advogada há quase 10 anos percebi a existência de uma enorme demanda por uma advocacia mais próxima da realidade, mais abrangente, que compreendesse o problema além do que está escrito nos textos legais. E, inspirada por escritórios nacionais e internacionais, surgiu o conceito do escritório voltado para o atendimento dos Direitos da Mulher, unindo duas das ideias nas quais mais acredito: o Direito como condutor de justiça social e a defesa dos Direitos da Mulher!

Seja bem-vinda, seguimos juntas e conte comigo!

Endereço

Praça General Osório, nº45, Sala 405-B, Centro, Curitiba – PR

Fale conosco.

Coloque aqui suas dúvidas e entraremos em contato.
Se preferir, entre em contato diretamente pelo telefone/Whatsapp através do número
(41) 99810-0433.

Como regularizar minha união estável?

A regularização da união estável é importante para que você e seu companheiro ou companheira tenham segurança jurídica e seus direitos resguardados. Com a regularização é possível determinar a data de início da relação e o regime de bens escolhido pelo casal, evitando qualquer problema futuro, seja de ordem patrimonial, sucessória, previdenciária, cobertura de plano de …

4 dicas para mulheres que pretendem se divorciar.

1. Procure uma advogada familiarista – e, preferencialmente, especializada em atendimento de mulheres.Informação é poder. É importantíssimo que, mesmo antes de comunicar esta decisão, você procure uma advogada familiarista. O Judiciário é machista e, como vimos nos últimos dias, tende a perpetuar os estereótipos e violências já sofridas pelas mulheres. Então, é muito importante que …

Pai que ostenta nas redes sociais e não paga pensão é condenado.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou um pai que alegava não ter condições de pagar a pensão alimentícia ao pagamento de alimentos, custeio de uniformes escolares, plano de saúde, material escolar e a pagar 25% do seu rendimento líquido em prol dos filhos que teve com sua ex-companheira. Isto porque, apesar de …

Sonegação de bens na Partilha.

É muito comum que os homens sejam os principais responsáveis por cuidar das suas finanças pessoais e também das finanças da companheira. Em razão disso, infelizmente, muitos escondem valores no momento da partilha de bens no divórcio. Duas decisões recentes, uma de Santa Catarina e outra de Minas Gerais, determinaram que os homens realizassem o …

Contrato de namoro e quarentena

Muitas clientes já têm me procurado com a seguinte dúvida: “Estou morando com meu namorado durante a quarentena. É união estável?” E a resposta é: depende! Um namoro, normalmente, cumpre alguns requisitos da união estável, como ser público, contínuo e duradouro. Mas, se faltar um requisito essencial, ele não será considerado união estável. E esse …

Divórcio virtual

O Conselho Nacional de Justiça, através do Provimento 100/2020, possibilitou a realização de divórcio virtual. Os requisitos são os mesmos do divórcio extrajudicial, isto é, inexistência de filhos menores e as partes precisam estar de acordo sobre todos os termos do divórcio (exceto nos Estados em que isso não é um requisito), bem como estar …